Empresas de transporte mantêm preço, apesar do aumento no pedágio

O aumento no preço do pedágio não será repassado ao consumidor por empresas, cooperativas e caminhoneiros de Sorocaba (SP), pelo menos por enquanto. É o que garante o representante comercial de uma transportadora, João Jacob da Silva Lima. "Tem que traçar uma rota mais inteligente, com menos pedágio, de preferência, e tentar absorver esse diferencial", afirmou.
Em uma transportadora com 40 caminhões, apenas no trajeto entre Sorocaba e São Paulo (SP), o principal caminho feito pela empresa, o gasto era de R$ 44 mil por mês. Com o aumento, a conta vai ficar R$ 10 mil mais cara.
Fazendo uma conta individual, viagem de ida e volta entre Sorocaba e São Paulo, uma carreta de cinco eixos gastava R$ 160. Com o reajuste, passou para R$ 172. Na Cooperativa de Transporte de Sorocaba há 70 veículos. E não vai ser fácil deixar de repassar os novos valores do pedágio para os clientes.
"O certo seria falar para o cliente que aumentou o pedágio e embutir esse valor na tabela. Mas é difícil. Tem sido difícil conversar com o cliente", disse o diretor da cooperativa Alexandre Cernomorete.
De Sorocaba a São José do Rio Preto são 450 quilômetros. Um caminhão gastava R$ 600 de pedágio entre ida e volta. Desde sexta-feira (1º) os custos com a tarifa vão passar para R$
660, aumento que o caminhoneiro Francisco dos Santos Costa vai ter que arcar. "A gente vai se espremendo. O caminhoneiro vai apertando o cinto e indo. Mas agora não tem mais para onde acertar", finaliza.
FONTE: G1 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário