Transporte fecha 25,3 mil postos de trabalho em dois meses

Dados do Ministério do Trabalho divulgados pela Imprensa dão conta de que, como reflexo da recessão econômica, a queda na demanda por serviços de transporte causou o fechamento de 25,3 mil postos de trabalho nas empresas de transporte e logística, somente no primeiro bimestre de 2016.
O número representa um terço dos resultados de 2015, quando 76,4 mil pessoas perderam suas vagas no setor. Somente o transporte terrestre perdeu 20,8 mil trabalhadores nos dois primeiros meses deste ano. A demanda pelos serviços do segmento caiu 9,6% nesse período. No acumulado de 12 meses, a diminuição chega a 10,4%. Em 2015, foram 53,4 mil demissões.
Os resultados confirmam o que revelou a Sondagem Expectativas do Transportador - 2015, levantamento realizado pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) no segundo semestre do ano passado, sobre as perspectivas para 2016. Para 68% dos empresários ouvidos, a recuperação da economia só ocorrerá a partir de 2017. Desses, 20% creem que os resultados só começarão a melhorar em 2018.
A Sondagem apontou, ainda, que quase 80% dos empresários teve que reduzir o quadro de funcionários no ano passado e 30% diminuiu a expectativa de contratações formais para 2016.
Se três anos atrás o setor de transporte rodoviário de cargas via-se às voltas com a falta de cerca de 110 mil motoristas para dirigir os novos caminhões adquiridos graças ao financiamento farto e barato, hoje, o que existe são cerca de 200 mil caminhões parados por absoluta escassez de carga.
Mas não é só o setor de cargas que sofre com a crise. Segundo o último dado da PNAD Contínua do IBGE, o índice de desemprego, que era de 7,9% no primeiro trimestre de 2012, atingiu, no primeiro trimestre de 2016, 10,9%, o que significa cerca de 11,1 milhão de pessoas desempregadas. Eis aí um grande desafio para o novo governo Temer.
FONTE: NTC&Logística 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário