header ads


DNIT estabelece novas regras para o transporte de cargas indivisíveis do segmento eólico

Unilink Transportes/Divulgação
O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) publicou na última quinta-feira, 5 de dezembro, no Diário Oficial da União (DOU) a Portaria Nº 7.771. O documento estabelece novas regras para o transporte de cargas indivisíveis do segmento eólico em rodovias federais.

De acordo com a publicação, ficam dispensadas de escolta da Polícia Rodoviária Federal (PRF) as operações de transporte com combinações veiculares, formadas por carreta extensiva, com comprimento máximo de 55 metros e as operações que envolvem combinações com comprimento entre 55 metros a 70 metros, entretanto, neste segundo caso os eixos do reboque ou semirreboque deverão ser direcionais e hidráulicos. Em ambas as situações será necessário o uso de duas escoltas credenciadas pela PRF. 

Já as operações de transporte de cargas indivisíveis do segmento eólico com comprimento superior a 70 metros e máximo de 95 metros poderão ser dispensadas do uso de escolta policial desde que utilizem três escoltas credenciadas pelo Departamento Polícia Rodoviária Federal. Entretanto, para que isso ocorra, deverá ser apresentado um Estudo de Viabilidade Geométrica (EVG), o transporte deverá ser realizado em semirreboques com os eixos autodirecionais hidráulicos e o primeiro descolamento deverá contar com escolta da PRF, para que os agentes possam avaliar o grau de risco e necessidade de interferência na segurança viária ao longo da rota estabelecida.


Com as mudanças, a escolta da Polícia Rodoviária Federal (PRF) passa a ser obrigatória apenas nos deslocamentos que exigirem operações especiais que necessitem de inversão de pista, bloqueio de acessos, tráfego na contramão e remoção de sinalização.

Por fim, a Portaria do DNIT estabelece ainda a exigência de relatório fotográfico, com o levantamento visual atualizado das Obras de Artes Especiais - OAE, sempre que o Peso Bruto Total Combinado (PBTC) declarado na Autorização Especial de Trânsito (AET) da carga do segmento eólico exceder 100 toneladas.

Segundo o DNIT, as novas regras entraram em vigor com a publicação da Portaria.

Confira na íntegra a Portaria Nº 7.771: CLIQUE AQUI

TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários