Volvo apresenta FH e FM movidos a gás natural

Esta semana a Volvo apresentou ao mercado europeu os novos caminhões pesados ​​Euro 6 movidos a gás natural liquefeito (LNG) ou biogás. Os novos caminhões têm o mesmo desempenho, capacidade de condução e consumo de combustível dos modelos movidos a diesel. 
"Com os nossos novos caminhões com gás natural liquefeito ou biogás, podemos oferecer uma alternativa com baixo impacto climático que também atende a altas demandas de desempenho, eficiência de combustível e alcance operacional. Esta é uma combinação que nossos clientes em transporte regional e de longa distância requerem, "diz Lars Mårtensson, Diretor de Meio Ambiente e Inovação da Volvo Trucks.
Disponíveis nas versões com chassi rígido (4x2, 6x2, 6x4) e cavalo-mecânico (4x2, 6x2, 6x4) os novos Volvo FH LNG e Volvo FM LNG contam com duas opções de motorização, a primeira de 420 cv com torque máximo de 2100 Nm e a segunda de 460 cv com torque máximo de 2300 Nm, ambas combinadas com a caixa automatizada I-Shift. Além disso o consumo de combustível está a par com os motores a diesel da Volvo, mas 15 a 25 por cento inferior ao dos motores a gás convencionais.
Segundo a Volvo, os novos modelos podem ser abastecidos com dois tipos de combustível a base de metano, o gás natural liquefeito (LNG) que reduz em até 20% as emissões de CO2  ou biogás (bio-LNG) que entrega uma redução de até 100% na emissão de CO2, se comparados ao diesel. Para maximizar o alcance de condução, os tanques são preenchidos com GNL, que é armazenado a uma pressão de 4-10 bar a uma temperatura de -140 a -125° C. A maior variante do tanque de combustível contém GNL suficiente para uma faixa de até 1000 km. O reabastecimento leva ao mesmo tempo que o enchimento com diesel. Ao dirigir, o combustível é aquecido, pressurizado e convertido em gás antes de ser injetado no motor. Para inflamar o gás, uma pequena quantidade de diesel é adicionada no momento da injeção.
Para uma redução de 100% das emissões de CO2 exige que o diesel fóssil seja substituído pelo HVO (Óleos vegetais hidrogenados) e combinado com bio-GNL.
A Volvo destaca ainda que o próximo passo será o trabalho em conjunto com fornecedores de gás e clientes para desenvolver a expansão da infra-estrutura de GNL na Europa. Este desenvolvimento também é apoiado politicamente em muitos países e pela UE. Uma estratégia para expandir a infra-estrutura de GNL também está incluída nos pacotes de ação da Comissão Européia e dos Estados membros para garantir o fornecimento de energia a longo prazo da Europa.
"O gás natural oferece flutuações climáticas claras, tem preços competitivos em muitos países e existem reservas suficientes para justificar o uso em larga escala. Nosso foco em veículos GNL está na criação de novos pré-requisitos para que nossos clientes executem operações eficientes em termos de combustível e custo-benefício. Ao mesmo tempo, estamos permitindo que as operações de caminhões pesados ​​reduzam consideravelmente seu impacto climático ", diz Lars Mårtensson.
As vendas de Volvo FM LNG e Volvo FH LNG começarão na primavera de 2018.


TEXTO: Lucas Duarte


 Receba por Email

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário