PRF e IBAMA fazem operação de combate a fraudes no ARLA 32

A poluição ambiental é uma das grandes preocupações no mundo na atualidade, é responsável por muitas mortes e a busca do equilíbrio se faz necessária. A PRF trabalha fiscalizando emissões veiculares de poluentes no seu dia dia, além disso auxilia outros órgãos em fiscalizações específicas e também operações conjuntas ao longo das rodovias federais e outros pontos de interesse.
O ARLA 32 é um aditivo que os caminhões fabricados a partir de 2012 são obrigados a utilizar para que os gazes tóxicos produzidos sejam transformados e emita menos poluição para meio ambiente. Ocorre que muitos motoristas e até empresas vem utilizando diversos meios para burlar a fiscalização e utiliza o produto adulterado ou faz uso de emuladores, que simulam o uso do produto. Os infratores alegam que fazem isso para reduzir os custos, porém ao adulterar o arla ou não usá-lo os veículos emitem mais poluentes que os veículos antigos.
Por conta de várias denúncias recebidas, a PRF e o IBAMA vem realizando a operação denominada “ADBLUE” nesta semana no interior de São Paulo a fim de verificar possíveis fraudes no sistema de emissões de gazes veicular. Algumas empresas foram visitadas e multas ambientais foram aplicadas.
Algumas irregularidades foram constatadas. Na quarta-feira, 25, ao fiscalizar uma empresa fabricante de Arla32 em Matão, a qual havia sido embargada pelo Ibama em junho de 2017, os agentes encontraram a planta em operação, com notas fiscais de venda do produto, além de notas fiscais de compra de insumos, produtos usados na fabricação e embalagem do Arla32, que caracterizam o funcionamento. 
Havia arla32 nos tanques de preparo, água desmineralizada nos reservatórios e bombas de 20 litros novas, prontas para envase.
O Ibama notificou a empresa por descumprimento de embargo.
No mesmo dia, durante averiguação em uma transportadora em São Manoel, foram encontrados 20 emuladores e 05 caminhões flagrados utilizando o equipamento. Ao deixar de utilizar o arla, os caminhões perdem a potência, com o uso do emulador o caminhão funciona normalmente como se estivesse usando o produto e mantém a potência, porém emite uma quantidade de poluentes muito maior. Foram aplicadas multas ambientais pelo Ibama.
Desde o início da operação na segunda-feira, 23, o valor total das notificações já alcançaram o valor de R$ 323.170,00.
FONTE: PRF 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário