Caminhoneiros estão envolvidos em roubos de cargas, afirma PRF

O número de roubos de cargas reduziu no Espírito Santo de janeiro a julho deste ano, segundo dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), passando de 58 para 42, em comparação com 2016. A questão é que os números podem não representar exatamente o que está acontecendo nas rodovias, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A corporação afirma que registrou casos de roubos que aconteceram dentro do Estado inclusive com o envolvimento direto de caminhoneiros.
A suspeita começou há cerca de um ano, de acordo com o superintendente da PRF no Estado, Willis Lyra. Ele não quis declarar detalhes, mas apurações de agentes da PRF indicam que criminosos convenceram caminhoneiros a roubarem as próprias cargas, em rodovias capixabas. O esquema seria o seguinte: a mercadoria é levada para fora do Estado – em outros destinos –, roubada e o caminhão abandonado. Depois, o motorista finge para que sofreu o roubo do veículo, mais a mercadoria, e registra o boletim em estados vizinhos, principalmente no Rio de Janeiro. Os criminosos dão a esse caminhoneiro uma quantia, posteriormente, como forma de comissão e o caminhão, abandonado, “reaparece” um tempo depois.
“Ele se deixa levar para outro estado e lá faz o registro do roubo, diminuindo os casos do Espírito Santo e maquiando os números. Já conhecedores da situação, desenvolvemos ações nas principais divisas, com Rio de Janeiro, Bahia e Minas Gerais, tentando combater também esse ilícito”, acrescenta.
A PRF não tem números exatos de quantos casos aconteceram no último ano, mas segundo Lyra a ideia dos criminosos em registrar o boletim fora do Estado é não deixar rastros e fazer aparentar tranquilidade no Espírito Santo, como os números registrados pela Sesp. Os dados são bem diferentes dos do Rio de Janeiro, onde, em média, 24 caminhões são assaltados por dia, de acordo com o Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro. A PRF diz que a atenção dos policiais nas estradas aumentou por causa da crise na segurança do estado fluminense, e a possibilidade de criminosos migrarem para o Espírito Santo.
SINDICATOS DESCONHECEM CASOS
Os dois sindicatos que representam os caminhoneiros no Espírito Santo afirmam desconhecer a suspeita da PRF. O presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens no Espírito Santo (Sindicam-ES), Álvaro Ferreira, afirma estar surpreso. “Para mim é até surpresa. Mas não vou dizer que o motorista não possa participar, porque a gente não conhece todo mundo. Mas não tenho ciência disso”, declara.
O presidente do Sindicato dos Rodoviários do Estado (Sindirodoviários) Edson Bastos, que representa os caminhoneiros de carteira assinada, disse que também desconhece os casos. “Nós temos uma categoria muito grande. Se aconteceu foi em número bem pequeno. Não chegou caso nenhum para a gente, de motoristas que participaram de roubo ou simularam sequestro para serem roubado”, relata.
A PRF disse que as investigações desses casos acontecem por um centro integrado de inteligência, que também envolve outros órgãos, como Polícia Civil, Militar e Polícia Federal.
FONTE: CBN Vitória 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário