Sindicato diz que reforço da Força Nacional não coibiu roubo de cargas no Rio

Ao contrário do que se esperava com o reforço da Força Nacional de Segurança no Rio de Janeiro, o mês de maio teve quase 200 roubos de carga a mais do que o mês de abril.
A avaliação do Sindicato de Empresas de Transporte Rodoviário e Logística do Rio de Janeiro, o Sindicarga, é que a presença dos 300 agentes na cidade desde o dia 15 de maio, que se juntaram aos 150 que já atuavam no Rio, não tem evitado os crimes.
O diretor de segurança do Sindicato, coronel Venâncio Moura, pede ações mais integradas em vários pontos da cidade e não apenas nos acessos às comunidades do Chapadão e Pedreira, na zona norte do Rio.
Segundo ele, criminosos de várias localidades da cidade têm se especializado neste tipo de crime, inclusive na receptação das cargas roubadas.
De acordo com o levantamento do Sindicarga, os caminhões que mais tem sido alvo dos assaltos são aqueles que transportam alimentos, bebidas e medicamentos e muitas empresas tem deixado o Rio de Janeiro em função dos constantes roubos.
O Sindicato cobra um investimento maior em segurança pública com a convocação de novos agentes já aprovados em concurso e melhor estruturação das polícias.
Procurada para se posicionar sobre os questionamentos do Sindicarga, a Secretaria de Estado de Segurança Pública encaminhou as questões para as assessorias de imprensa das Polícias Militar e Civil. Até o fechamento desta reportagem, não houve retorno das duas corporações.
FONTE: EBC
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário