Exames toxicológicos: Labet investe em rede de atendimento premium

A Labet, laboratório líder na realização de exames toxicológicos para motoristas profissionais, está investindo na implantação de uma rede de atendimento premium. O projeto-piloto está sendo desenvolvido no Espírito Santo, em parceria com os laboratórios locais Fleming e Landsteiner.
De acordo com a diretora de Marketing da Labet, Camille Lages, a iniciativa busca oferecer mais conforto e segurança aos motoristas.
“Em pesquisa realizada, identificamos que muitos motoristas se sentiam constrangidos ao entrarem nos laboratórios para realizar a coleta para o exame toxicológico, por não ser um local que eles tenham o hábito de frequentar. Nosso objetivo é oferecer informações exclusivas e deixá-los mais à vontade, para que eles se sintam seguros e valorizados”, explica a executiva.
Para isso, as 19 unidades de coleta foram personalizadas com informações e sinalizações específicas para os motoristas. A sócia da rede Landsteiner e Fleming Michelli Boneli apoia a ação e destaca que já houve um aumento de mais de 200% no número de exames realizados desde que a parceria teve início.
A obrigatoriedade do exame toxicológico para motoristas com CNH nas categorias C, D e E tornou-se uma norma pela Lei Federal 13.103/15 e está devidamente regulamentada pelo CONTRAN e Ministério do Trabalho. A obrigação vale, desde 02 de março de 2016, para a emissão e a renovação da CNH, na  admissão e no desligamento de motoristas profissionais. Desde então, mais de 32 mil testes já foram realizados no Espírito Santo.
Sobre o exame toxicológico
O exame toxicológico de larga janela de detecção é uma tecnologia laboratorial que representa que há de mais avançado para detectar o uso regular de substâncias psicoativas. É uma poderosa arma na prevenção, no combate ao consumo de drogas e na efetiva redução da violência viária envolvendo motoristas profissionais. Com visão retroativa mínima 90 dias, o teste detecta o uso recorrente de drogas como maconha, cocaína, opiáceos, anfetaminas e metanfetaminas. A análise é feita pelo fio de cabelo, pelos do corpo ou unha. 
O Brasil ocupa a terceira colocação entre os países com mais mortes no trânsito, por isso a realização do exame  toxicológico é tão importante. Além disso, mais de 38% dos acidentes nas rodovias federais envolvem veículos pesados, apesar de estes representarem apenas 4% da frota nacional. 
O exame do cabelo é adotado no país há mais de 15 anos pelo Exército, Marinha, Aeronáutica e pelas Polícias Federal, Militar, Civil e Rodoviária Federal, além do Corpo de Bombeiros e da Guarda Municipal de vários Estados, com resultados comprovados. 
FONTE: Divulgação 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário