Reoneração vai gerar demissões em massa no setor de transporte

A reoneração da contribuição previdenciária, se aprovada pelo governo federal, vai gerar demissão em massa no setor transportador, que, no ano passado, teve que fechar mais de 90 mil postos de trabalho devido à grave crise econômica do país. A retração no PIB do transporte foi de 7,1% em 2016, sendo o pior resultado entre os setores produtivos.
Além disso, a medida vai gerar aumento significativo da inflação, principalmente na área de mobilidade urbana.  Na avaliação do presidente da CNT (Confederação Nacional do Transporte), Clésio Andrade, “a reoneração penaliza o setor produtivo, que é fundamental para a reativação da economia brasileira”.
Clésio Andrade destaca ainda que o transporte é essencial para qualquer atividade. “Fazemos a movimentação de trabalhadores e transportamos toda a produção do país, desde os insumos aos bens finais.”
A reoneração aumentará significativamente o custo da prestação dos serviços de transporte e impactará o preço dos bens de produção nacional, com reflexo direto sobre a mesa do trabalhador. Isso será decisivo para a redução da renda da população, já comprometida pela crise e pelo elevado nível de desemprego do país. “Sem o transporte, o Brasil para. Os impactos da reoneração atingirão tanto a área de cargas quanto a de passageiros”, diz Clésio Andrade.
FONTE: CNT 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

  1. que tal se os srs donos e diretores das empresas de transporte diminuirem por um certo tempo seus rendimentos em prol das empresas ?

    ResponderExcluir
  2. QUE TAL O VALOR DO FRETE SUBIR,PORQUE OS CAMINHONEIROS NÃO CONSEGUE MAIS NEM COLOR COMIDA NA PROPRIA MESA AINDA TEM QUE REDUZIR O VALOR É PRA RIR

    ResponderExcluir
  3. tem que diminuir creditos a grandes transportadoras que compra cominhões novos somente com dinheiro do bandes ,abaixando assim os preços dos fretes , e mais tem empresas estrangeira entrando no mercado de carga nacional somente pra vacalhar ainda mais o mercado , pois elas são empresas capitalistas fundidas com os grandes produtores de grão do brasil ..

    ResponderExcluir