Você sabe quais são as causas do erro no cálculo do frete?

A principal preocupação de qualquer empresário é saber se o seu negócio está sendo lucrativo. Cada transportadora procura o melhor método para chegar a um valor justo de frete. Por isso, se tratando de transporte rodoviário de cargas, o cuidado com o cálculo do frete é de extrema importância, pois é ele que estipulará o valor do seu serviço para o embarcador.
É necessário avaliar criteriosa e permanentemente de cada item, caso contrário as chances de você ter dor de cabeça com possíveis erros na emissão dos documentos, prejuízos financeiros e até mesmo perda na confiança dos seus clientes. Por isso, listamos a seguir os principais itens causam erros no cálculo do seu frete:

Frete Peso: Não avaliar o peso bruto ou o peso cubado das cargas. Esses itens definem o valor a ser pago pelo transporte de acordo com a sua modalidade. O frete deve cobrado de acordo com o peso da mercadoria ou o espaço que ela ocupa, preferencialmente o que for maior.

Negociar ou deixar de cobrar
Pedágio: Taxa cobrada dependendo do percurso a ser percorrido para a entrega. O valor do custo do pedágio é definido pelo rateio, no caso de transporte de cargas fracionadas.

GRIS – Taxa de gerenciamento de risco: GRIS deve cobrada a partir de uma porcentagem do valor da nota fiscal, tem o objetivo de cobrir os custos do frete decorrentes das medidas de combate ao roubo de carga e prevenção do risco.

Ad valorem: usada por transportadoras para agregar seguro na mercadoria que não está assegurada quando não está em tráfego. O Ad Valorem é calculado em cima do valor da carga.

Taxa de Restrição ao Trânsito – TRT: tem o objetivo de cobrar custos adicionais sempre que a coleta ou a entrega forem realizadas em cidades que tenham alguma restrição à circulação de veículos de transporte de carga ou à própria atividade de carga e descarga.

ICMS: imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação.

Taxa de Despacho: taxa fixa que envolve os custos operacionais e administrativos da operação de despacho, coleta e entrega.

Todos esses itens são negociados cliente a cliente, em função das características e demandas de cada mercado ou ainda cliente. A maioria das transportadoras tem essa “dura negociação” com seus clientes/embarcadores, e não podem, ou não deveriam cair no principal motivo para erros. O Cálculo Manual.
Permitir que um cálculo tão detalhado e delicado seja realizado manualmente é o erro mais comum que as empresas cometem. Isso porque a empresa vira refém da memória dos emissores, e passam a correr altos riscos de erros, já que não terão nenhum sistema para alertá-lo para o fato de ter deixado de incluir uma determinada taxa e, caso isso aconteça, é muito difícil perceber a tempo de corrigir. Pense bem, quando um CTE é emitido incorretamente, o prazo para correção é muito curto e depois disso ele não poderá mais ser alterado, ou seja, pagará todos os impostos de um, bem como criará dificuldades administrativas para você e para seu cliente.
Agora que você já sabe os principais riscos de um cálculo errado do seu frete, saiba que é imprescindível para eliminação desses erros potenciais que o sistema da empresa seja flexível o suficiente para eliminar qualquer necessidade de emissão e/ou cálculo manual do frete.

Artigo: Valter Luiz da Silva - Gerente comercial da BgmRodotec, empresa especializada em software de gestão para empresas de transporte 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário