Defasagem do frete chega a 17,63% em Minas Gerais

Na última terça-feira (7), o Sindicato das Empresas de Transportes de Carga do Estado de Minas Gerais (Setcemg) apresentou uma palestra o desempenho do transporte rodoviário de cargas no Brasil e no estado durante o ano de 2016. 
O evento contou com a presença dos principais transportadores do estado, da imprensa local e do assessor técnico da NTC&Logística, Antônio Lauro Valdívia, responsável pela pesquisa nacional realizada pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística), em colaboração com a Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT).
Conforme mostrado anteriormente aqui pelo Blog Caminhões e Carretas, a defasagem do frete para carga lotação chegou a 24,83% em 2016, já para cargas fracionadas chegou a 11,77%, resultando em uma defasagem média de 18,30%. 


Tratando-se exclusivamente do Estado de Minas Gerais em 2016, a defasagem do frete para carga lotação chegou a 24,93%, já para cargas fracionadas chegou a 10,33%, resultando em uma defasagem média de 17,63%. 
A pesquisa da NTC&Logística relevou ainda atrasos no recebimento do valor do frete e no faturamento das transportadoras mineiras. 42,8% das empresas possuem fretes a receber, 15,12% estão com o percentual de faturamento em atraso e o prazo médio de recebimento em Minas Gerais chega a 27,6 dias. 
Completando o cenário preocupante do transporte rodoviário, a pesquisa da NTC revelou ainda que 52,2% das transportadoras do estado deram desconto no valor do frete, desconto esse que chega a 9,53% em média. 36,5% mantiveram o valor do frete e apenas 11,3% reajustaram o valor cobrado, reajuste médio de 5,28%. 
A combinação de todos esses fatores e números negativos resultaram em uma queda significativa do faturamento das empresas mineiras, segundo a pesquisa 80% apresentaram uma queda de 19% no faturamento em relação a 2015, 9% tiveram faturamento igual ao ano anterior e apenas 11% obtiveram um crescimento de 9,5% em média no faturamento. 
Apesar dos números preocupantes em 2016, os transportadores mineiros revelaram durante o evento uma leve expectativa de melhora já para o ano de 2017, especialmente no quarto trimestre (outubro, novembro e dezembro). Marcelo Patrus, da Patrus Transportes Urgentes destacou que o fim de 2017 poderá ser o marco da retomada do crescimento no transporte rodoviário de cargas em Minas Gerais e em todo o Brasil, mas para que isso aconteça será imprescindível o reajuste no frete e uma negociação firme com embarcadores e clientes, afim de reduzir atrasos nos pagamentos e descontos abusivos.

TEXTO: Lucas Duarte
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário