Transportador promete justiça com as próprias mãos frente aos ataques em Paranaguá

O início do transporte da safra está sendo marcado pela violência em Paranaguá, Paraná. Segundo relatos de diversos caminhoneiros que descarregam no porto diariamente, os ataques aos caminhões se tornaram frequentes, principalmente no período noturno. 
Dentre as cargas mais visadas estão as de grãos e as de fertilizantes. A abertura de bicas, bloqueio de vias com paus, pedradas em parabrisas e assaltos a mão armada estão entre as ações mais praticadas pelos criminosos que atuam na região portuária de Paranaguá. Somente em janeiro de 2017 houve um aumento de 40% no número de ataques a caminhões, em comparação com o mesmo período de 2016. 
A mercê dos bandidos e sem resposta dos governos, municipal e estadual, transportadores que trabalham no porto de Paranaguá prometem justiça com as próprias mãos para combater a criminalidade e evitar prejuízos ainda maiores. 
Em vídeo, o empresário Emerson da Cunha Burg, proprietário da Transburg, empresa de transportes de Ponta Grossa, Paraná, relata a rotina frequente de violência no porto de Paranaguá. Segundo ele a situação está fora de controle na região, somente em uma semana três caminhões de sua frota foram atacados. Emerson relata ainda que o último ataque foi feito contra um caminhão zero km da empresa, durante sua primeira viagem. O empresário acompanhava o motorista no momento do ataque, o veículo além de ter sido atingido por pedras no parabrisa teve as bicas abertas, derramando toda a carga pela via.
Indignado com toda a situação e em tom de desabafo, o empresário promete ainda tomar providências contra a violência já que o governo não se posicionou em relação a rotina de insegurança em Paranaguá. Por fim o empresário destaca o risco de vida que os caminhoneiros têm ao se dirigir a Paranaguá. “E se me matam com uma pedrada dessas? ”, questionou. 
Segundo o governo, foi realizada essa semana uma reunião entre autoridades, empresários e representantes da sociedade para discutirem formas de combater a crescente violência na região portuária de Paranaguá. 

Confira o vídeo do empresário Emerson da Cunha Burg:
TEXTO: Lucas Duarte
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

  1. demorou parceiro quem quer fazer nao manda recado,agora voce falou se algo acontecer vao comer seu rim,aja e fique quieto.

    ResponderExcluir
  2. Alguém tem que ser homem e fazer alguma coisa.
    Apoiado ja trabamos quase de graça e vem um maldito nos tirar oque mal temos.

    ResponderExcluir
  3. E não prenda o bandido..
    Extermine ele!
    Assim não haverá reincidência.

    ResponderExcluir