Empresas criam mecanismos para evitar saques de cargas em acidentes

Empresas que fazem o transporte de cargas estão investindo em mecanismos para evitar que as mercadorias sejam saqueadas em caso de acidentes com os caminhões. Entre as medidas estão instalação de grades nas carrocerias e treinamento para os motoristas. Em Goiânia, grupo pegou milho que ficou espalhado na rodovia após veículo tombar.
Uma transportadora instalou grades dentro das carrocerias dos caminhões. Elas são usadas para separar os vários tipos de mercadoria, mas também servem para proteger os produtos caso tentem fazer algum saque.
Grande parte das cargas transportadas tem seguro. Porém, mesmo assim, o saque pode representar uma grande perda para as empresas. “Tem o prejuízo comercial. O cliente confia a carga à empresa e você não consegue entrega-la? Depois você tem que cumprir todo aquele procedimento da seguradora para depois fazer o pagamento. Isso traz um prejuízo à imagem da empresa”, relatou o representante do Sindicato das Transportadoras, Paulo Afonso.
“Em alguns momentos a gaiola segura a carga, não na totalidade, mas consegue conter que a carga se espalhe no asfalto e aconteça a situação de saque”, disse o gerente de uma transportadora, Thiago Sousa Franco.
Além disso, as companhias estão investindo em treinamento para os motoristas para tentar evitar os prejuízos. Entre as orientações estão a de constante manutenção dos veículos, trafegar por estradas com pedágios, que têm uma qualidade melhor, e respeitar integralmente as leis de trânsito, como limite de velocidade. Com isso, a intensão é diminuir a chance de acidentes.
O delegado Gilson Mariano Ferreira reforça também que o saque é crime e que as pessoas que pegam as mercadorias espalhadas na pista podem ser presas. “Subtrair uma coisa alheia é crime, é furto. A pena é de um a quatro anos e, desde o final do ano passado, se for uma espécie de animal, pode chegar a cinco anos essa pena”, esclareceu.

Saque
No último dia 19, pessoas saquearam uma carga de milho após um caminhão tombar na BR-153, no perímetro urbano de Goiânia. As pessoas colocaram as espigas dentro de bolsas, sacos plásticos e até na carroceria de caminhonetes.
O acidente aconteceu em uma curva da rodovia próximo à Vila Romana, na região leste da capital. O motorista da carreta perdeu o controle da direção na curva e acabou tombando o veículo.
FONTE: G1 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário