Combustíveis terão novo aumento de preço a partir de 1º de fevereiro

A partir do dia 1º de fevereiro os preços dos combustíveis terão um novo reajuste em doze estados e no Distrito Federal. O aumento valerá para os seguintes estados: Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Tocantins e Distrito Federal. 
O novo aumento foi estabelecido pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e publicado no Diário Oficial da União (DOU) dessa terça-feira (24). A publicação traz uma tabela com o preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) que deverá ser adotado pelos estados mencionados anteriormente. Confira a tabela e os valores que entrarão em vigor: 
Segundo o Ministério da Fazenda, o objetivo do Confaz é adotar medidas para  aperfeiçoar a política fiscal dos estados e torná-la compatível com as leis da Federação.
O reajuste promovido pelo Confaz, caracterizará o segundo aumento no preço do diesel em 2017. No início de Janeiro, a Petrobras anunciou um aumento de 6,1% no preço do combustível nas refinarias, contribuindo para um aumento de até R$ 0,12 no litro vendido nas bombas de todo o país. Logo em seguida o Confaz anunciou um reajuste do preço dos combustíveis em 8 estados. 


Confira na íntegra a publicação no Diário Oficial da União: CLIQUE AQUI

TEXTO: Lucas Duarte
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

6 comentários:

  1. Lindo !!! Me parece que estão querendo acabar de vez com os caminhoneiros...

    ResponderExcluir
  2. Eu só tenho a dúvida cruel. P q aparecem esses valores nessa tabela sendo q na bomba é muito maior chega a ser 0,20 centavos a mais.??

    ResponderExcluir
  3. BRASIL... O PAÍS DA CORRUPÇÃO. COMANDADO POR UMA CORJA DE LADRÕES. TENHO VERGONHA DE SER BRASILEIRO. FIM DA CLASSE DE CAMINHONEIROS.

    ResponderExcluir
  4. Jornal nacional diz q vai abaixar e agora

    ResponderExcluir
  5. MAIS PANELAS...MUITAS PANELAS...VAMOS CHEGANDO, TEM LUGAR PARA TODOS.

    ResponderExcluir
  6. MAS BEM FEITO!!! NÃO ACHARAM RUIM OS 4 % DE AUMENTO, DEPOIS DE 16 MESES, NO GOVERNO DILMA??? TOMEM

    ResponderExcluir