Tabela mínima do frete é aprovada por unanimidade

Foi aprovado por unanimidade na manhã dessa quarta-feira (7) na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, o parecer do Projeto de Lei 528/2016 que prevê a criação de uma Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas. 
O projeto de lei de autoria do Deputado Assis do Couto, do Paraná, tem como objetivo promover condições razoáveis à realização de fretes em todo o território nacional, proporcionando retribuição ao serviço prestado em patamar adequado.


A aprovação do parecer da tabela mínima do frete na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, encaminha o Projeto de Lei 528/2015 para votação no Plenário da Câmara dos Deputados. Nessa etapa participam os 513 deputados federais da casa, sendo necessário a maioria dos votos para aprovação, ou seja 257 votos a favor da criação da tabela mínima do frete. Até o momento não foi definida a data da votação no Plenário da Câmara. 
A aprovação do parecer da PL 528/2015 foi comemorada por muitos caminhoneiros autônomos e transportadores, nas redes sociais diversos comentários destacam que o primeiro passo foi dado para melhorias no transporte rodoviário de cargas no Brasil. Acredita-se ainda que a aprovação por unanimidade é reflexo das manifestações dos próprios caminhoneiros que ocorreram na última semana em Brasília e em algumas rodovias federais do país.

LEIA: Caminhoneiros ocupam Brasília 

Também nas redes sociais, diversos caminhoneiros prometem continuar com as mobilizações e fortalecimento da categoria, afim de pressionarem a aprovação da PL 528/2015 no Plenário da Câmara. A previsão é de que também ocorra manifestações em Brasília no dia da votação. 

O tabelamento mínimo do frete é visto com uma das principais medidas para solucionar a crise vivida pelo transporte rodoviário de cargas e combater os baixíssimos fretes praticados no setor.

TEXTO: Lucas Duarte

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

30 comentários:

  1. O que a PEC prever, como punição para quem não cumprir a tabela de preço mínimo? Pois existe a lei do atraso e ninguém cumpre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neste projeto não a como não cumprir a lei pois o valor do frete será calculado na geração do cte. O sistema no momento da confecção do cte, já vai dar o valor do frete por km rodado.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Finalmente uma boa notícia. Parabéns aos nossos irmãos da estrada!

    ResponderExcluir
  3. É bom pois acaba com o que nunca deveria existir que é o frete de retorno. Parabéns a toda classe. E vamos à luta, pois só assim conseguiremos nossos objetivos.

    ResponderExcluir
  4. Agora é lei???então tem que protestar contra os aplicativos que anuncia um frete abaixo da tabela ...se é lei federal tem que ser cumprida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não é lei. Agora vai para plenário onde os 513 deputados vão votar.

      Excluir
  5. Temos que parabenizar o politico que iniciou nossos interesses la em brasilia

    ResponderExcluir
  6. Tomara viu q isso aconteça.....vai ser maravilhoso

    ResponderExcluir
  7. Espero q se torme realidade pois ja chega de sermos tratados como se nao existissimo pois somos o comeco fa cadeia de trnsportes nesse pais e somos tratados como marginais

    ResponderExcluir
  8. Eu fis um frete de imbituba SC pro rio brancoPR e nao deu nem pra despesa meu frete deu 780$eo manifesto deu1280 pra trasportadora eai como se combate esse roubo?

    ResponderExcluir
  9. Sem conta q pela tabela esse frete teria q ser 78 a ton sao 440km eles tiverao a desonestidade de me paga a 29 a ton fui obrigado a carrega pois se nao teria q vim vasiu.reaumente sao muito desonesto essas trasportadora

    ResponderExcluir
  10. Eu acho que, para dar certo, só depende de nós caminhoneiros. Não carregando esses fretes absurdos que estão pagando, porque a verdade é esta: eu não carrego, mas outros mil carregam.

    ResponderExcluir
  11. Alguem sabe informar quando sera a votação?

    ResponderExcluir
  12. Nada mais justo que tabelar o frete senão a categoria vai a falência como muitos ja estão. E o Brasil precisa dos caminhões pra desenvolver e abatecer.

    ResponderExcluir
  13. VAMOS TODOS PRECIONAR OS DEPUTADOS E SENADORES PRA OCORRA ESSA VOTAÇÃO O BREVE POSSÍVEL. SENÃO PODE FICA ENGAVETADA POR DECADAS.
    A FORMA MAIS SIMPLES E PARAR COMO JA FOI FEITO E SURGIU EFETEIO.
    VAMOS JUNTOS LUTAR PRA MELHORAR ESSES FRETES QUE ESTÃO UMA VDD MERDA.

    ResponderExcluir
  14. isso precisa sair do papel, e tornalo realidade é fácil.
    basta uma paralisação daclasse, sem atravessar cargueiro nas rodovia ou qualquer ato irracional, respeitando o direito de ir e vir de todos.
    basta paralizar os transporte por quinze dias, que literalmente o brasil para.
    temos um poder nas maos que poucos fazem ideia disso.
    o grande problema somos nós mesmos, pois quando 80% levam a greve a sério, os outros 20% ficam tirando vantagens dos demais.

    ResponderExcluir
  15. Nao quero ser pessimista. .mas nao acredito que essa tabela de frete vá dá resultado. Nao temos união. Só nos podemos resolver parando tudo.mas falta homens de vergonha na cara pra fazer isso.nossa classe esta deteriorada.os atravessadores fazem de nós o que querem e nós aceitamos. Sou caminhoneiro a 37 anos.hj estou com vergonha de tanta injustiça ...fica a qui meu protesto

    ResponderExcluir
  16. Vamos dar um basta nessa política podre que reina sobre nós. Vamos nos unir.sem desmerecer as forcas,mas se nós nos unirmos,conseguiremos trabalhar por um frete justo.vamos caminhoneiros brasileiros vamos lutar por nossos direitos vamos a Brasília de novo senao irao esquecer de nós de novo.

    ResponderExcluir
  17. Nao quero ser pessimista. .mas nao acredito que essa tabela de frete vá dá resultado. Nao temos união. Só nos podemos resolver parando tudo.mas falta homens de vergonha na cara pra fazer isso.nossa classe esta deteriorada.os atravessadores fazem de nós o que querem e nós aceitamos. Sou caminhoneiro a 37 anos.hj estou com vergonha de tanta injustiça ...fica a qui meu protesto

    ResponderExcluir
  18. O duro de parar de carregar, é a prestação do veículo. Que não é nada barato. Se para, no final não vai ter pro carnê!!! E bora ralar até sair o frete mínimo, tudo aumentando: Diesel, pneus, óleo, peças quando quebram, mecânico, refeição, mercado, etc... E o valor do frete sempre na mesma, faz muito tempo que não sobe, e se "sobe" é 0,02 centavos!!! Ridículo!!
    E fora que pra descarregar ainda tem que pagar!

    Arrumem isso!

    ResponderExcluir
  19. acabar com as transportadoras que atravesam o fretes e estao ricas as custas dos autonomos,,,deveria ter uma lei que obrigasse as empresas a tirar seu proprio produto e pagar seu frete direto a terceiros,,,obrigando a pagar icms de frete no ato ....

    ResponderExcluir
  20. os preços dos fretes nao sao reajustados a mais de 10 anos gente como pode isso,,,,vejam o quanto teve de aumento nos ultimos 10 anos ,,,e se alguem puder me diga qual foi o reajuste que tivemos de frete,,,nada de nada ,,,,uma vergonha ...tudo sucateado ,,,só se ve caco nas estradas ,,,sem contar nas buscas e apeensoes que tem por ai ,,,tenho dó mas muita dó dos nossos irmaos camioneiros ter que pagar caro pra sustentar o pais nas nossas costas,,,e ninguem ninguem ve isso é revoltante ....e ainda tem que se humilhar para explicar para um policial que os penus estao carecas ,,porque sera que estao ,,,,como dar manutenção se nao sobra nem pra comer ,,,gente vamos mobilizar e parar esse pais nao com trancar estradas mas sim ficar em casa umas 2 semanas e deixar faltar mercadoria pro povo comer coisa simples sem baderna nem nada simplesmente para em casa ...obrigado se alguem tiver uma data pra convocar o pessoal to junto ...

    ResponderExcluir
  21. Concordo plenamente com todos os irmãos, e principalmente com o anônimo, parar em casa sem desordem, deixar que eles se virem, e vejam se não vai realmente haver um impacto nesse pais e eles olharem com mais atenção para classe.

    ResponderExcluir