Amarração de Cargas: Elimine contato metal-metal

Embora amarração de carga seja uma "ciência" relativamente simples, muitas vezes não é tratada com a devida importância. E isso pode impor riscos ao transporte. Por isso, vamos passar algumas dicas dessa "ciência".
Amarrar corretamente a carga, exige responder algumas perguntas básicas:

1a) Que forças estão envolvidas no transporte rodoviário de cargas? A resposta está na Figura:
2a) Quanto o peso da carga ajuda na sua contenção sobre o veículo? A resposta é DEPENDE!
Depende do atrito entre a carga e a carroceria. Se o contato for metal-metal, ajuda com 10% do peso (coeficiente de atrito=0,1). Ou seja, aqueles 10.000 kg colaboram com apenas 1.000 kg. O restante para resistir às forças da 1a pergunta terá que ser suportado pelo sistema de amarração.
Se o contato for metal-metal contaminado com óleo, o coeficiente pode ser 0,01. E nesse caso, os 10.000 kg da peça estão ajudando com apenas 100 kg. Por outro lado, se o contato for borracha-metal, o coeficiente pode chegar a 0,6. E aqueles 10.000 kg passam a ajudar com 6.000 kg na retenção da carga.
Por isso: ELIMINE O CONTATO METAL-METAL. Adicione sempre uma manta ou faixa de borracha entre a carga e a carroceria. Cuidado especialmente com assoalho metálico, mas também com as longarinas e perfis laterais: o assoalho pode ser de madeira, mas a carga pode apoiar-se nos perfis metálicos da estrutura da carreta, e o risco da peça cair aumenta muito.
Um detalhe importante: toda carga precisa ser amarrada, porque ela pode perder o contato com o piso em função da vibração na rodovia (Força 0,2.W para cima, da 1a pergunta).
Por isso, é mito sem fundamento: "carga pesada não precisa amarrar".
ARTIGO: Eng. Rubem Penteado de Melo
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário