Scania R730 10x8: Um gigante para o mercado australiano

Com o objetivo de atender as necessidades de uma das maiores minas australianas, a Qube Bulk, localizada em Pilbara, Austrália, a Scania apresentou um R730 v8 10x8, capaz de transportar até 220 toneladas. 
O modelo é resultado de uma conversão que foi feita a partir de um R730 v8 8x8, o qual foi adicionado mais um eixo de apoio. Com o isso o R730 10x8 passa a ser o maior caminhão já construído pela Scania em solo australiano. 
O veículo será combinado com os gigantescos rodotrens australianos (Quad Road Train). Atualmente a legislação australiana permite que esse tipo de configuração transporte até 200 toneladas, mas acredita-se que em um futuro próximo haja uma flexibilização das regras, permitindo assim o transporte de até 220 toneladas. "Nós esperamos que no futuro próximo, seja possível aumentar a capacidade para 220 toneladas", releva Todd Emmert, Diretor de Qube Bulk.
O novo caminhão será utilizado no transporte de minério de ferro em larga escala, partindo de diferentes minas, com destino a um terminal localizado em Port Hedland, na Austrália Ocidental. Percorrendo diariamente distâncias que chegam a 450 km durante 6,5 dias por semana. Estima-se que o caminhão alcance 1 milhão de quilômetros nos 3 primeiros anos de operação. 
Acredita-se ainda que, o R730 10x8 irá melhorar a produtividade e eficiência. "Isso nos permitirá prestar um melhor serviço aos nossos clientes. Aumentar a eficiência é fundamental para os nossos clientes, enquanto para nós a segurança é a prioridade ", diz Todd.
Especificações: 
O Scania R730 10x8 possui entreeixos de 4700 mm, com redutor nos cubos e redução do eixo de 4,27:1. O sistema de frenagem é a tambor e conta com sistemas ABS e EBD. O quinto eixo foi aplicado na parte traseira. O veículo conta ainda com quinta roda JOST DR38C-1. 

TEXTO: Lucas Duarte 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

9 comentários:

  1. os super caminhoes, nao restam duvidas sao muitos bonitos. mais acho um exagero nas estradas mesmo nao conhecendo as estradas australianas., tenho toda certeza que paises como o BRASIL E A AUSTRALIA devem mesmo investir em ferrovias para o transporte de cargas.

    ResponderExcluir
  2. o tranporte de trem e bem complicado por isso numca emplacou no brasil de caminhao e mais agil pena que temos tantos impostos sobre ele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Brasil nunca emplacou porque nunca foi investido.

      Excluir
    2. No Brasil não há "vontade politica" devido ao cartel dos caminhões e empreiteiras que constroem estradas sinuosas e mal feitas. O transporte ideal em todo o mundo para longas distâncias em terra é o Ferroviário. Me espanta a Austrália não ter esse transporte. Mas pelo que eu entendi, a questão do uso do modal rodoviário é porque, nesse caso específico, se transporta carga de diversas minas. Assim, nesse caso específico é necessário a única característica positiva do rodoviário que é justamente a flexibilidade. O alto custo desse transporte significa um grande problema. Uma das fontes principais do CUSTO BRASIL É O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PÉSSIMA QUALIDADE. Além disso, as rodovias australianas têm um custo baixíssimo de implantação e manutenção, uma vez que utilizam asfalto produzido com pneus reciclados. Que é usado em casos de veículos pesados.

      Excluir
  3. impostos e muitos pedagios pois os governos precisam cobrar impostos, para conservar as rodovias em estados de perfeiçao.

    ResponderExcluir
  4. E cadê a perfeição de nossas rodovias?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respondi ao Anônio desinformado o seguinte.
      No Brasil não há "vontade politica" devido ao cartel dos caminhões e empreiteiras que constroem estradas sinuosas e mal feitas. O transporte ideal em todo o mundo para longas distâncias em terra é o Ferroviário. Me espanta a Austrália não ter esse transporte. Mas pelo que eu entendi, a questão do uso do modal rodoviário é porque, nesse caso específico, se transporta carga de diversas minas. Assim, nesse caso específico é necessário a única característica positiva do rodoviário que é justamente a flexibilidade. O alto custo desse transporte significa um grande problema. Uma das fontes principais do CUSTO BRASIL É O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PÉSSIMA QUALIDADE. Além disso, as rodovias australianas têm um custo baixíssimo de implantação e manutenção, uma vez que utilizam asfalto produzido com pneus reciclados. Que é usado em casos de veículos pesados.

      Excluir
  5. meu caro ALEX, no BRASIL existem poucas rodovias em estado de perfeiçao, um desses poucos estados e aqui em SAO PAULO onde as rodovias sao excelentes.

    ResponderExcluir
  6. O anônimo está desinformado. Até as rodovias citadas pelo Antônio estão fora de um padrão mínimo de excelência internacional.No Brasil não há "vontade politica" de construir ferrovias e fomentar esse tipo de transporte. Isso ocorre devido ao cartel das empresas fabricante de caminhões/carros e empreiteiras que constroem estradas sinuosas e mal feitas. O transporte ideal em todo o mundo para longas distâncias em terra é o Ferroviário. Me espanta a Austrália não ter esse transporte. Mas pelo que eu entendi, a questão do uso do modal rodoviário é porque, nesse caso específico, se transporta carga de diversas minas. Assim, nesse caso específico é necessário a única característica positiva do rodoviário que é justamente a flexibilidade. O alto custo desse transporte significa um grande problema. Uma das fontes principais do CUSTO BRASIL É O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PÉSSIMA QUALIDADE. Além disso, as rodovias australianas têm um custo baixíssimo de implantação e manutenção, uma vez que utilizam asfalto produzido com pneus reciclados. Que é usado em casos de veículos pesados.

    ResponderExcluir