Fiscalização analisa condições de trabalho de motoristas de caminhões

Uma ação realizada nesta sexta-feira (19) por auditores fiscais do trabalho, na base da Polícia Militar Rodoviária, em Presidente Epitácio, fiscalizou as condições de trabalho dos motoristas de caminhões que passavam pelo trecho, na Rodovia Raposo Tavares (SP-270). Conforme a polícia, cerca de 40 veículos foram abordados durantes os trabalhos dos auditores.
Conforme o auditor fiscal do trabalho responsável pela operação, Leandro Guizzardi, o principal objetivo da ação foi garantir os direitos trabalhistas dos motoristas de caminhões de carga pesada. “Os pontos fundamentais fiscalizados foram a verificação da existência do registro em carteira, o cumprimento de controle de jornada, o combate de jornadas excessivas e também o combate à falta de concessão de descanso aos condutores, que deve ser feita pela empresa”, explicou o auditor ao G1.
Guizzardi informou ao G1 que o local da ação foi escolhido como estratégia, por se tratar de uma região de divisa entre os estados de São Paulo e do Mato Grosso do Sul, onde trafegam veículos com cargas e destinos diversos. Conforme ele, a Auditoria Fiscal do Trabalho realiza nos últimos 30 dias ações de fiscalização em portos, aeroportos e rodovias de todo o país.
No último dia 28 de julho, a operação aconteceu na base da Polícia Militar Rodoviária localizada em Presidente Prudente.
Segundo Guizzardi, os dados com os resultados da fiscalização desta sexta-feira (19), entre eles as infrações mais encontradas e a quantidade de autuações expedidas, devem ser divulgados na próxima quarta-feira (24). A operação foi realizada por 12 auditores fiscais do trabalho e teve o apoio da Polícia Militar Rodoviária.
Segundo a polícia, o trânsito no local não foi comprometido durante os trabalhos de vistoria.
FONTE: G1 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

  1. Tem muitas empresas que contratam motoristas na forma autónoma com seus cavalos mecânicos, vinculando os mesmos as suas normas internas. E assim acabam por buscarem as leis trabalhistas onde tem empregados sem nenhuma responsabilidade por eles.

    ResponderExcluir
  2. Pra falar a verdade meu caros a profissão está acabada .perdeu seu valor a anos .só não acaba .pelo amor que nos temos.e o Brasil nessecita desse tipo de transportes..

    ResponderExcluir
  3. Pra falar a verdade meu caros a profissão está acabada .perdeu seu valor a anos .só não acaba .pelo amor que nos temos.e o Brasil nessecita desse tipo de transportes..

    ResponderExcluir