Caminhoneiro recebe mais de 70 propostas de emprego após fazer pedido em sinal de trânsito

Desesperançoso após entregar diversos currículos em busca de trabalho e não obter nenhuma resposta, o motorista Breno Oliveira Barbosa, de 33 anos, decidiu utilizar um método incomum para (quem sabe) receber uma oportunidade: pintar uma faixa informando sua busca por uma chance de emprego e exibi-la em um sinal de trânsito.
A primeira aparição do homem com o cartaz (feito inicialmente em um papel cartolina) foi no dia 13 de julho. Breno escreveu que possuía CNH na categoria D e procurava por um emprego como motorista. O homem se dirigiu a um sinal de trânsito na avenida Antônio Carlos, próximo ao Corpo de Bombeiros, no bairro São Francisco, região Noroeste de BH, e ergueu o pedido, direcionando-o aos carros quando o sinal se fechava.
De acordo com Breno, algumas pessoas que transitavam pelo local confundiram o seu pedido e doaram moedas para ajudá-lo. “Eu recebi ligações de pessoas doando dinheiro, cesta básica, mas o que eu queria era um emprego”. Assim, seguindo conselhos de fazer um letreiro maior para facilitar a leitura, o homem retornou ao local no dia seguinte com uma faixa escrita: “SOU PAI DE FAMÍLIA. Preciso urgente de um emprego”.
O usuário do Facebook Pedro Henrique, que passava pelo local no dia, foi sensibilizado pela atitude do homem e publicou na rede social uma fotografia do motorista segurando a faixa. O intuito, de acordo com a legenda, era criar uma corrente de ajuda. “Quem sabe alguns amigos possam compartilhar tbm e esse senhor consegue algum emprego”, escreveu na publicação.
Em menos de três dias, o post de Pedro alcançou mais de 12 mil compartilhamentos, o que rendeu mais de 70 propostas de emprego para o motorista.

Desemprego
Em entrevista ao Bhaz, Breno diz ter imaginado que sua atitude tivesse alguma repercussão, mas não do tamanho que houve. Contudo, ficou contente pelo alcance. “Eu prefiro sair na manchete como um pai de família que pediu uma oportunidade de emprego do que um pai de família que roubou pra sustentar a casa”.
Há cerca de um mês, o caminhoneiro se viu disponível no mercado de trabalho e, por pagar aluguel, não poderia se dar ao luxo de “esperar sentado” pelo surgimento de uma chance. Por esse motivo recorreu a confecção da faixa. “Não tenho vergonha nenhuma, vergonha eu teria se estivesse roubando”.
Graças a sua atitude e a divulgação de Pedro, Breno conseguiu um emprego como motorista de caminhão dois dias após sua primeira aparição nos sinais de trânsito. O motorista conta que chegou até a receber uma mensagem via WhatsApp de uma família brasileira que reside na Flórida (EUA), dizendo estar torcendo para que ele tivesse sucesso na busca por trabalho.
O motorista também se diz muito grato à empresa que o contratou, Agromax, responsável por oferecê-lo uma vaga como motorista de caminhão. Segundo Breno, ele chegou a receber algumas ofertas anteriores a essa, mas buscava por algo que o motivasse. “O que eu faço de melhor é andar de caminhão”.
O caminhoneiro acredita que no mercado atual não falta trabalho, mas, sim, acesso. “Hoje em dia, serviço tem pra todo mundo, mas a maioria é por indicação”.
Nesta segunda-feira (1º), Breno teve a carteira assinada e começou sua nova jornada de trabalho. Isso graças a sua perseverança e a contribuição, ainda que singela, de um estranho que passou por ele.
FONTE: Bhaz
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

  1. O caminhoneiro acredita que no mercado atual não falta trabalho, mas, sim, acesso. “Hoje em dia, serviço tem pra todo mundo, mas a maioria é por indicação”. Essa é a pura realidade, porque já até perdi a quantidade de currículo distribuído, também sou motorista categoria D e Mopp, estou pensando em mudar de profissão, não porque eu quero mais por que as empresas nos obrigam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho categoria E curso mopp e estou quase fazendo o mesmo

      Excluir
  2. Olá caros colegas de profissão, é exatamente assim como o Aurélio falou, estou na mesma situação e sem dúvida alguma, tantos outros motoristas país de família também passa por essa situação...no meu caso já estou atuando em outra área, mais gostaria mesmo de continuar à exercer a minha profissão de motorista carreteiro... mais é preciso levar o pão pra dentro de casa...um forte abraço à todos, e boa sorte e que algo de melhor aconteça ligo na vida de vocês.

    ResponderExcluir