Mercedes-Benz apresenta o primeiro caminhão elétrico para distribuição urbana

A Daimler Trucks, fabricante de caminhões de maior sucesso mundial, está apresentando hoje, em Stuttgart, na Alemanha, o Mercedes-Benz Urban eTruck: primeiro caminhão totalmente elétrico com PBT (Peso Bruto Total) de até 26 toneladas. Isso significa que, no futuro, os veículos pesados participarão dos serviços de distribuição urbana com zero emissões e com nível de ruído tão reduzido que é quase imperceptível.
Para a Daimler Trucks, a chegada dessa tecnologia ao mercado é concebível já para o início da próxima década. No segmento de leves, a Companhia já tem demonstrado a adequação para o dia a dia do caminhão totalmente elétrico nos testes realizados junto a clientes com o Fuso Canter E-Cell desde 2014. Assim, o desenvolvimento de caminhões elétricos e a maturidade para a produção em série são pontos claros da estratégia da Daimler Trucks para fundamentar sua liderança tecnológica. Para tanto, uma parte considerável de seus investimentos futuros em pesquisa e desenvolvimento estão sendo canalizados para a condução totalmente elétrica.
Dr. Wolfgang Bernhard, membro do Conselho de Administração da Daimler AG e responsável pela Daimler Trucks & Buses: “Anteriormente, os sistemas elétricos de propulsão tinham uso extremamente limitado em caminhões. Os custos, desempenho e tempo de carga se desenvolveram tão rapidamente que agora há uma inversão da tendência no setor da distribuição: a época é propícia para o caminhão elétrico. Nos caminhões leves para distribuição, nosso Fuso Canter E-Cell já tem sido testado intensivamente junto aos clientes desde 2014. E com o Mercedes-Benz Urban eTruck, estamos focando no segmento de distribuição pesada de até 26 toneladas. Pretendemos estabelecer a condução elétrica tão sistematicamente quanto a autônoma e a conectada.”

Crescente urbanização requer caminhões totalmente elétricos
A melhoria da qualidade do ar, o menor nível de ruídos e o acesso às áreas com restrição de tráfego são, atualmente, questões decisivas no ambiente das grandes metrópoles, pois, no mundo todo, cada vez mais habitantes estão indo para as cidades. O ano de 2008 foi o primeiro em que mais pessoas viviam em cidades do que no interior. Esta tendência tem prosseguido: as Nações Unidas estão prevendo uma população global de 9 bilhões de pessoas até 2050, com cerca de 70% vivendo em áreas urbanas.
No futuro, será então necessário transportar bens em ambientes urbanos para números crescentes de pessoas – e com os mais baixos níveis de ruídos e de emissões. Atualmente, grandes cidades, como Londres ou Paris estão considerando a possibilidade de banir os motores de combustão interna de seus centros urbanos no futuro. Isso significa o seguinte: haverá caminhões totalmente elétricos garantindo os suprimentos de alimentos e outros bens de uso diário.
Aprimoramento rápido da capacidade da bateria e custos reduzidos
Até pouco tempo, o uso de sistemas totalmente elétricos de condução nos caminhões parecia inimaginável – especialmente devido aos altos custos das baterias, além de sua curta autonomia. A tecnologia, porém, tornou-se agora muito mais madura. As células de baterias foram aprimoradas rapidamente. A Daimler Trucks prevê que os custos das baterias terão diminuído duas vezes e meia entre 1997 e 2025 – de 500 Euros/kWh para 200 Euros/kWh. Simultaneamente, o desempenho irá melhorar numa proporção equivalente – de 80 Wh/kg para até 200 Wh/kg.
Stefan Buchner, chefe mundial da Mercedes-Benz Trucks: “Com o Mercedes-Benz Urban eTruck, estamos enfatizando a nossa intenção de desenvolver sistematicamente a propulsão elétrica para caminhões, a fim de atingir a maturidade com a produção em série. Isso significa que começaremos a integrar os clientes, de maneira que possamos obter uma experiência conjunta valiosa com relação à autonomia de operação e à infraestrutura de carga nas operações de transporte do dia a dia. Com isso, consideramos que a entrada dessa tecnologia na produção em série já é concebível para o início da próxima década”.

Tecnologia inovadora de baterias para o Urban eTruck
O Urban eTruck está baseado em um caminhão pesado Mercedes-Benz de três eixos para serviços de distribuição de curta distância. Adicionalmente, os engenheiros da Daimler Trucks revisaram o conceito de propulsão: o trem de força convencional foi substituído por um novo eixo traseiro, com propulsão elétrica por motores posicionados diretamente junto aos cubos de rodas – solução derivada do eixo traseiro elétrico que foi desenvolvido para o ônibus híbrido Mercedes-Benz Citaro. A força é alimentada pelo conjunto de três módulos de baterias de lítio-íon. Isso resulta em uma autonomia de até 200 km, suficiente para as entregas típicas de distribuição urbana. Graças ao conceito integrado com os motores juntos aos cubos de rodas, as baterias são acomodadas em um local à prova de colisões dentro do quadro do chassi.

Fuso Canter E-Cell com propulsão totalmente elétrica – em operação junto a clientes desde 2014
No que se refere aos caminhões leves, a propulsão totalmente elétrica já é uma realidade. Isso está demonstrado pelo Fuso Canter E-Cell. A Fuso já havia apresentado a primeira geração do Canter totalmente elétrico em 2010. Em 2014, seguiu-se a segunda geração, que demonstrou seu valor nos primeiros testes de frota em Portugal. Com autonomia de mais de 100 quilômetros, os veículos ultrapassaram a média diária registrada por muitos caminhões leves de distribuição em curtas distâncias. Sob condições muito variáveis de operação, os caminhões cobriram mais de 50.000 km em um ano. Nesse processo, os veículos ficaram livres de emissões e levando em conta a geração de energia, as emissões de CO2 foram reduzidas em 37%, em comparação às dos motores diesel. Os custos operacionais ficaram 64% abaixo da média.
Marc Llistosella, responsável pela Daimler Trucks Ásia e presidente & CEO da Mitsubishi Fuso Trucks and Bus Cooperation (MFTBC): “A geração atual do Canter E-Cell oferece a nossos clientes serviços de transporte que não são somente ecologicamente corretos, mas também bastante econômicos. Nosso teste em Lisboa revelou economia substancial de cerca de 1.000 euros a cada 10.000 quilômetros, comparado com os caminhões a diesel”.
"Na Fuso, já temos uma longa experiência no desenvolvimento de veículos comerciais livres de emissões e consequentemente iremos buscar o desenvolvimento também no futuro. No IAA 2016 (Feira Internacional de Veículos Comerciais), em setembro, daremos mais um importante passo rumo à produção em série de nossa próxima geração, o Fuso eCanter,” afirma Llistosella.

Testes com o Fuso Canter E-Cell em frota de cliente na Alemanha
Desde abril de 2016, na cidade de Stuttgart, a prestadora de serviços de entregas Hermes está testando cinco caminhões Fuso Canter E-Cell em suas operações. Especialmente os desafios topográficos da área urbana desta cidade alemã fornecem indicações importantes para a Daimler Trucks como referência para o aprimoramento da condução totalmente elétrica num ambiente exigente.
Dirk Rahn, diretor administrativo da área de Operações da Hermes: “Estamos muito orgulhosos de nossa parceria tão bem sucedida com a Daimler no desenvolvimento de tecnologias de relevância para o futuro. Aceitamos com prazer a iniciativa da Daimler de ativamente apoiar os testes do Fuso Canter E-Cell em nossa rotina diária de logística. Assim, os resultados de nossos testes têm sido extremamente positivos! Com relação às crescentes exigências da logística nas cidades, estamos agora esperando ansiosamente para testar outras categorias de veículos e levá-los logo à maturidade de mercado. Nossa meta comum: tornar a mobilidade elétrica mais econômica”.
FONTE: Mercedes-Benz 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. A indústria de caminhões está experimentando uma grande revolução, e isso é muito bom, pois já está na hora de dizer Adeus à esse diesel caro e poluente e focar na economia e redução de emissões, e mais: o Arla-32 não servirá mais para nada, visto que o futuro será sem combustíveis fósseis para os veículos se movimentarem. Porém, faltam entre 10 e 15 anos para que essa tecnologia alcance sua plena maturidade. Por exemplo: como um veículo pesado elétrico terá torque e robustez suficientes para tracionar imensas cargas com maior rentabilidade e durabilidade que um FH-750 movido à diesel? Ainda precisa melhorar para poder substituir totalmente os veículos atuais...

    ResponderExcluir