Excesso de carga nos caminhões pode prejudicar a qualidade e segurança das estradas

A segurança e a qualidade das estradas brasileiras sempre foram motivos de atenção por quem utiliza essas vias para acessar outros municípios e estados do país. Além de carros de passeio, muitos caminhões de cargas e ônibus circulam pelas rodovias, transportando materiais entre as regiões. No entanto, o excesso de peso desses veículos pode prejudicar o asfalto, o fluxo dos carros e, ainda, provocar acidentes.
Ao viajar, com quantos caminhões você já se deparou parecendo estar cheios de carregamento e muito pesados? Essa cena se repete muitas vezes diariamente nas estradas do Brasil, mesmo com uma fiscalização mais acirrada do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), as balanças para pesagem e a verificação de documentos, notas fiscais e limites estabelecidos para cada veículo, conforme previsto em lei.
Entre os principais problemas causados por quem anda acima do peso permitido estão a elevação dos poluentes na atmosfera – ocasionados pela má distribuição da carga por eixo e, consequentemente, pela redução do desempenho do caminhão –, além de dificultar possíveis manobras e a capacidade de frenagem do transporte para evitar acidentes. O excesso de carga também prejudica a vida útil do asfalto, reduzindo muitas vezes pela metade as condições satisfatórias para trânsito.
Cada modelo de caminhão tem um peso Bruto Total, que é homologado pela fabricante junto ao governo. É importante estar atento à capacidade permitida de cada veículo para não ter surpresas na estrada, principalmente com a multa, que dependerá do quanto a carga ultrapassou o tolerado, podendo variar entre R$ 85,13, para até 600 quilos (kg), e R$ 191, 54 para cada 500kg quando o peso do caminhão ultrapassar 1.001kg.
Além de colocar a segurança em risco, estradas danificadas também pesam no bolso. Seja consciente e siga as regras!
FONTE: SEGS 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário