Defasagem do frete: Alternativa é caminhão mais eficiente

Os transportadores rodoviários terminaram 2015 com uma defasagem média de 12,9% nos fretes, uma queda de faturamento de 8,9% e um aumento de custos operacionais de 9,46%, segundo dados da NTC&Logística. Esse cenário impactou diretamente as vendas de caminhões no primeiro semestre de 2016, que apresentaram recuo de 32% em relação ao mesmo período de 2015, segundo a Federação Nacional de Distribuidores de Veículos Automotores (Fenabrave). Para enfrentar essa conjuntura desfavorável, as montadoras de caminhões apostam em inovações que geram maior eficiência nos veículos e produtividade para as transportadoras.
“Nosso foco em inovação é dirigido à demanda de hoje, que envolve soluções que reduzem custos e agregam valor aos negócios dos nossos clientes”, diz Leandro Siqueira, diretor de desenvolvimento de produto da MAN Latin America. É da montadora a linha de caminhões mais vendida no mercado brasileiro há sete anos, a VW Constellation. Os caminhões da linha foram os primeiros a saírem de fábrica com um sistema de rastreamento e gerenciamento remoto de frota e itens que geram mais conforto e silêncio na cabine, além de estabilidade de carga. Em 2011 foi incorporado o motor MAN D08 com EGR, que reaproveita os gases de exaustão através de controle eletrônico e em 2013 os veículos passaram a contar com a tecnologia Smart Ratio, que automatiza a troca de marcha. No momento, segundo Siqueira, a equipe de P&D da MAN em Resende (RJ) trabalha na adequação para caminhões da tecnologia de recuperação de energia cinética, como os KERS utilizados nos carros de Fórmula 1.
A eficiência energética também é prioridade na Iveco. “O gasto com combustível é uma parcela grande do custo do transportador. A característica comum das inovações nesse ano em nossas linhas de caminhões é a redução desse custo”, diz Darwin Viegas, diretor de engenharia da Iveco. A companhia já trabalha com a versão 2017 do veículo leve Daily, que conta com um motor de três litros da FPT Industrial, os pesados Stralis e Hi­Way, que receberam modificações técnicas que ampliam o torque e a economia.
Philipp Schiemer, CEO da Mercedes­Benz América Latina, diz que a prioridade da companhia em sua linha de caminhões é aliar conforto, segurança e economia. O principal foco de inovação no grupo hoje é o conceito Intelligent Drive, que utiliza uma série de ferramentas avançadas e sensores que monitoram o ambiente e dão suporte ao condutor.
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

  1. com certeza um equipamento moderno ajuda muito e ate mais motivante mas e quase impossivel para o caminhoneiro autonomo mas ja considero um equipamento entre 5/10 anos muito bom

    ResponderExcluir
  2. A redução de peso dos veículos, através da utilização de materiais mais leves em sua construção, como aços especiais e o alumínio, representa uma alternativa para o aumento da eficiência no tranporte rodoviário, assim como acessórios que reduzem o arrasto aerodinâmico, como defletores. Soluções com baixo custo (ou nenhum) de desenvolvimento estão disponíveis no mercado, trazidas dos EUA ou Europa, como rodas de alumínio forjadas que reduzem até 1 tonelada da composição com rodas de aço elevando a capacidade de carga e reduzindo consumo de pneus e diesel! Pneus super single em implementos também reduzem o arrasto, melhorando o consumo de diesel...

    ResponderExcluir
  3. O Brasil chegará a uma situação de impossibilidade empresarial tão adversa que nenhuma tecnologia conseguirá extrair leite de pedra. O custo da eficiência tecnológica será inviável.

    ResponderExcluir