Você sabia que existe uma Vacina Contra Roubo para caminhões?

Se a polícia recebe uma denúncia e chega a um galpão onde foram desmontados vários caminhões e eles não encontrarem estes sinais identificadores nos caminhões, simplesmente não se consegue achar o real proprietário do veiculo - Sinval P.
Segundo pesquisa realizada pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística, a evolução do roubo pelo país atingiu o maior número dos últimos 15 anos. Em 2015, foram cerca de 15 mil casos.
São Paulo é a região com maior concentração desses roubos - com 45%. O Rio de Janeiro ficou com 25%. Cerca de 30% dos roubos ocorrem nas estradas em geral. As mais perigosas são a BR-101 e a BR-116, seguidas da BR-50 e a rodovia Belém Brasília. Outro dado importante é que 70% dos roubos acontecem nas áreas urbanas.
Olhando para este mercado, há 17 anos foi criada a Vacina Contra Roubo, uma forma de identificar várias partes e peças do caminhão. A VCR é a empresa criadora deste sistema capaz de realizar a identificação permanente de partes e peças do veículo, efetuado pela tecnologia de “Punção Pneumática Contínua” que altera a estrutura molecular do local gravado.
“Quando se rouba um caminhão e o proprietário faz um B.O. dando queixa do roubo, as únicas partes/peças pelas quais as autoridades podem reconhecer são as que estão com identificação permanente (ex. chassis, vidros, bloco do motor) que são rapidamente dispensadas pelas quadrilhas”, afirma Sinval P. Silva , sócio da VCR.
A tecnologia é a mesma utilizada pelas montadoras para fazer a gravação do número do chassi. Geralmente, a placa é gravada em cerca de 220 partes ou peças do veículo e são impossíveis de ser removidas e alteradas sem danificar ou deixar vestígios de identificação.
E também são gravados vários pontos de identificação segredos em locais aleatórios da cabine, longarina, eixos e peças de alto valor, estes segredos são fotografados e depois acobertados, logo após são inseridos em laudo que demonstra a localização precisa deles, este laudo e entregue ao proprietário “Se a polícia recebe uma denúncia e chega a um galpão onde foram desmontados vários caminhões e eles não encontrarem estes sinais identificadores nos caminhões, simplesmente não se consegue achar o real proprietário do veículo”, completa.
A vacina inviabiliza a venda das peças em desmanches ilegais e a clonagem do veículo. Quando é feita a vacina, são colocados adesivos de advertência em lugares estratégicos, “avisando o ladrão". Assim, inibe-se o delito antes dele ocorrer, evitando perseguições e atos de violência contra o motorista.
FONTE: Divulgação 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário