Setor de implementos inicia 2016 com resultados negativos

Dados divulgados pela a ANFIR – Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários – mostram um início de ano com resultados abaixo dos obtidos em 2015. No segmento de Reboques e Semirreboques foram emplacados 1.615 unidades ante 2.220 produtos do mesmo período do ano passado. Isso representa queda de 27,25% e o pior mês do setor desde 2004. No mercado de Leves, Carroceria sobre Chassi, o resultado também é o pior desde janeiro de 2008 com 2.878 unidades contra 6.118 produtos no mesmo período do ano passado,  o que representa redução de 52,96%.
No total, a indústria de implementos rodoviários entregou no primeiro mês do ano 4.493 unidades contra 8.338 registradas no mesmo período de 2015, queda de 46,11%. Para Alcides Braga, presidente da ANFIR- Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviário, a indústria terá que trabalhar muito somente para atingir a previsão para 2016 que é a de crescimento zero.
O pacote de medidas anunciado pelo governo federal de R$ 83 bilhões para reativar a economia não é garantia de retomada dos negócios para o setor. Para a ANFIR o principal obstáculo para as empresas tomarem emprestado os recursos oferecidos pelo governo nas sete linhas de crédito é o temor do prolongamento da recessão.
No pacote do governo federal serão R$ 10 bilhões para pré-custeio da safra agrícola 2016/2017, R$ 10 bilhões em recursos do FGTS para crédito imobiliário, R$ 22 bilhões para operações de infraestrutura, R$ 5 bilhões para capital de giro de micro e pequenas empresas,  R$ 4 bilhões em linhas de pré-embarque para exportações, R$ 17 bilhões para consignado ao setor privado com garantia da multa por demissão e 10% do saldo dos depósitos existentes e R$ 15 bilhões para refinanciamento das operações que estão vencendo do PSI e do Finame com taxas de mercado, sem subsídio.
FONTE: O Carreteiro 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário